Photography: Infinite being

The value of the "being" and of the "flesh" is in the principle of finitude and operates on the intangible idea of irreversibility. But the body staged like a religious object, in opposition to reality, is in constant transition between a physical and metaphysical being. In this way, reversibility occurs in a mystical time and place. The somnambulistic movement between the cradle and the grave is a circular and continuous process. A place where there is no center of identity but an intention of distant contemplation of life, in which the being moves in dialogue with divergent identities and with the ambiguity of the flesh. This principle creates value in the power of "infinite being" - labeled as primitive or primordial, without, however, refer to any point of origin.

 

O valor do “ser” e da “carne está no princípio da finitude e opera sobre a ideia intangível de irreversibilidade. Mas o corpo apresentado como um objecto do religioso, em oposição à realidade, está em constante transição entre um ser físico e metafísico. Deste modo, a reversibilidade acontece num tempo e espaço místico. O movimento sonâmbulo entre o berço e a sepultura é um processo circular e continuo. Um espaço onde não existe um centro de identidade mas uma intenção de contemplação distante da vida, no qual o ser move-se em diálogo com identidades divergentes e com a ambiguidade da carne. Este principio cria valor na possibilidade de “ser infinito” – titulado como primitivo ou primordial, sem, no entanto, ser uma referência ao seu ponto de origem.

Bárbara
Fonte